5 de junho de 2007

Raça não existe!!!?????

Não sei se me orgulho ou me envergonho de minha profissão.
Prefiro não dizer que sou jornalista quando leio, por exemplo, a manchete da Veja mais recente: "Raça não existe".
Esta é a mais nova campanha da nossa "isenta" mídia. Pretende derrubar o programa de cotas nas universidades instituído pelo Governo Federal. Usa, para isso, o argumento da miscigenação para tentar nos convencer de que preto e branco não têm diferença.
Você, que é branco, de classe média, responda: quantos negros há na sua escola? Ou universidade? Ou na empresa em que você trabalha? Ou no banco onde você deposita seu dinheiro?
Não precisaria sequer fornecer as estatísticas. Mas vou fazê-lo: negros morrem de causas violentas duas vezes mais do que brancos; são 64% da população pobre e 69% da população indigente; apenas 26% dos negros vivem em moradias adequadas; 28,5% deles concluíram o ensino médio; só 22% dos empreendedores brasileiros são pretos; um branco ganha, em média, o dobro do que ganha um negro; a taxa de desemprego é de 11,8% contra 8,6% dos brancos.
De acordo com o ranking dos melhores países em desenvolvimento humano de 2004, o Brasil ocupa o 69º lugar. Se o Brasil fosse um país apenas de brancos, a posição do país seria a 46°. Se fosse um país 100% negro, a sua posição seria a 97º.
A miscigenação existe, não é balela. Mas o racismo é tão evidente quanto a miscigenação. Existe um componente de classe em nosso racismo, é verdade. Mas, responda: quem é maioria em nossas favelas, qual a raça?
A Veja vende a informação e a classe média compra porque lhe é oportuna. Afinal, eles, os negros, estão tirando vagas de nossa elite branca. E é mais fácil usar esse papo de "mistura das raças" para tirar de nossos ombros o peso de nossa origem - branca, colonizadora, escravocrata. Melhor seria assumir nossa identidade para tomar rédeas de nosso destino. E reconstruir nossa história por um caminho diverso do que foi traçado por nossos antepassados.

1 comentários:

Jaqueline Revorêdo disse...

Deveríamos ter afundado as caravelas, mas agora não há mais tempo. A obrigatoriedade em escalar pessoas negras nas novelas de tv é um bom exemplo da exclusão. Antes só haviam negros fazendo papéis domésticos ou de escravos, hoje se conseguiu um espaço maior. Ainda falta muito para sermos de fato uma democracia racial, o abismo entre as classes é imenso. Nada vem de graça mesmo, tem que ser na raça!

 

Palavras-pontes Design by Insight © 2009