27 de julho de 2011

Cityville

Perdi-me numa cidade perfeita:
sem fome,
nem miséria,
nem Polícia,
nem ladrão.
Perdi-me numa cidade de sonho
e larguei a vida
na contramão.




Esta é minha Cidade de brincadeira. Cidade da Lua não tem latifúndios, apenas agricultura familiar. Tudo é gerido coletivamente e não há Polícia, por que não é necessário. Os conflitos e problemas são resolvidos por um Conselho Comunitário. E os trabalhadores têm jornada de seis horas, mas uma delas é dedicada a realização de serviços sociais, de acordo com o potencial e desejo de cada um. Se a pessoa trabalha como gari, mas tem habilidade para o artesanato, em sua hora de serviços comunitários, desenvolve oficina de artesanato com outros moradores. Também os negócios são obrigados a prestar contrapartida social. E as coisas vão bem, porque todos têm acesso à escola, bibliotecas, livros e cultura.

Cidade da Lua é apenas um jogo - o CityVille. Uma brincadeira de criança ou um refúgio no sonho. O problema é que essas brincadeiras de computador viciam e levam a gente pra longe da vida real. Um comentário de meu caro poeta Samuca me fez despertar. E eu tive uma ideia bem legal. Não vou abandonar o brinquedo pois ele me ajuda a limpar a alma... Mas vou torná-lo objeto de histórias. Cidade da Lua vai virar cenário de literatura. E mais: interativa. Por isso, façam perguntas sobre Cidade da Lua, para que a gente possa construir, juntos, essa história.

E eu, de minha parte, lanço a primeira polêmica da cidade. Incentivados - ou pressionados - pelo comando do jogo, que fica lançando metas e desafios para os construtores de cidades, os moradores de Cidade da Lua construíram um zoológico. Mas isso acabou indo de encontro à filosofia da própria cidade, que não permite enjaular ou aprisionar qualquer ser vivo. Mas as crianças adoram o lugar e até visitantes estrangeiros vem de longe pra vê-lo. O que fazer? A discussão está lançada entre os habitantes de Cidade da Lua, que tem até a semana que vem para decidir. E está lançada também para os visitantes e para os internautas. Comentem e opinem!!!

3 comentários:

Dimas Lins disse...

Entrei recentemente no Facebook e já recebi diversos convites para entrar no jogo. Preferi ficar de fora, embora tenha ficado tentado.

Estou numa fase bastante produtiva de escritos e não quero me atrapalhar, pois passei alguns meses sem escrever, exceto sobre o Santa Cruz.

Quanto ao zoológico, se é contra a filosofia dos habitantes a prisão de qualquer ser vivo, melhor fechar. Quando a alma se corrompe, mas difícil é o caminho de volta.

Dimas Lins

Dimas Lins disse...

Desculpe o erro de português "Mais difícil" ao invés de "Mas difícil".

Dimas Lins

Magna Santos disse...

O que? Zoológico? Solte os bichinhos. Que raio de filosofia é esta? As crianças podem conhecer e brincar com os animais naturalmente, afinal, esta cidade deve ser cercada de floresta e cheia de bosques. Zoológico nem pensar.
Demorei a vir a tua Cityville, mas cheguei.
Beijos.
Magna

 

Palavras-pontes Design by Insight © 2009