16 de junho de 2014

Minha cidade





Eu quero ver o céu
Eu quero ver o céu
E que a cidade me abrace com seu mangue
sem que esta lama se transforme no sangue
que escoa sob as Torres de Babel

Eu quero ver o mar

Eu quero ver o mar
E que a cidade me abrace com seus rios
sem os palácios de concreto que vendem sonhos vazios
desejos pra quem pode pagar

Eu quero ver os velhos

e as crianças
E que a cidade me abrace com sua história
de paisagens que guardam muitas memórias
e um futuro que não enterra lembranças

Eu quero ver

este carnaval
E que a cidade me abrace com seus moradores
Todas as classes,
todas as cores
Gente que se mistura, como água e sal

Eu quero ver as ruas

coloridas
De gente que canta, que sonha, que passa
De crianças que brincam na praça
Eu quero ver a vida!
Eu quero ver a vida!

(Foto: Direitos Urbanos)

0 comentários:

 

Palavras-pontes Design by Insight © 2009