31 de março de 2008

Até mais, Mariângela

Mariângela veio.
Mariângela se foi.


Tão pouco um mês para dividi-la com a vida,
para dividi-la com as ruas do Recife,
os cheiros as comidas as ondas do mar...
os amigos as irmãs e a Bruxa Má do Leste...
Tão pouco um mês para dividir-me entre ela e a vida
e as crianças o trabalho o teatro o Coque Cajá


Nos olhos dela, e nos meus, ficou um mundo sem palavras,
de coisas não ditas,
de vontade de dizer.


A despedida, sem aviões nem gentes dando Adeus:
ela saindo, andando pela minha rua...
e um abismo se estendendo entre nós


Como ponte sobre ele, a saudade do que não fizemos agora,
mas fizemos outrora:
ciranda no Pátio, passeio em Olinda, banhos de mar,
quilos e quilos de bobagens ditas.


Fiz planos que não pude cumprir.
Quis roubar Mariângela do mundo.
Não deu.

1 comentários:

Anônimo disse...

mas eu volto!!! E os quilos de bobagens acumulados vao inundar o Patio de Sao Pedro e as ladeiras de Olinda.

 

Palavras-pontes Design by Insight © 2009