1 de abril de 2009

Arco-íris

Tenho sete asas.
Sete cores do arco-íris.

Partida em seus espectros, a luz do sol brilha sobre mim.
Do vermelho o pulso aberto, sangue, coração à mostra.
Do laranja, ânsia de voar.
Do amarelo, a alma em brasa. A esperança verde.
O azul do mar...
O azul do mar, índigo sereno, e o violeta que toda bruxa tem.

Tenho sete asas.
Sete cores do arco-íris.

No mais, é o negro da noite que me povoa.
E tece suas asas no avesso de mim.

2 comentários:

Magna Santos disse...

Eita, danada, tu demoras a publicar, mas quando vem é esta enxurrada de beleza. Benza-te Deus!
Beijo!
Magna
Obs.:foi ver Patativa ou não?

Poeta Carlos Maia disse...

A eterna luta que nos assola, carne-espírito, bem-mal, luz-trevas...

Tá muito lindo o seu poema!

 

Palavras-pontes Design by Insight © 2009