24 de abril de 2009

Os sonhos de Alexandre

- Alexandre, qual seu maior sonho?
- Ter uma arma.

Quando só resta este desejo para uma criança de 13 anos, é porque seu coração desaprendeu a sonhar.
Xande é rebelde. Provoca os outros, briga, chuta, grita, quer impor sua valentia. Mas não consegue esconder a frustração por não ter ainda aprendido a ler. E, quando se permite um momento de quietude, copia as letras, as palavras, mesmo que não consiga decifrar-lhes o significado.
Xande faz-se de grande. Não quer ouvir histórias, essas coisas de criança. Mas quando as histórias são ditas, chega sorrateiro, de banda, fingindo distração.
Xande assina com nome de gangue, e desenha armas - de diferentes estilos. Mas quando as brincadeiras começam, vai sorrindo aos poucos, e entra na roda para voltar a ser o que é: um menino de 13 anos.
Quando a gente vê Alexandre assim - brincando, copiando letras ou prestando atenção nas histórias, tem certeza de que não foi o seu coração que desaprendeu a sonhar. Foram os seus olhos que desaprenderam a reconhecer os sonhos. Então, ainda há esperança. Apesar das armas, da violência, do tráfico, das drogas.

4 comentários:

Magna Santos disse...

Não consegui falar depois de ler este. Apenas escrever e ainda estou escrevendo. Dona Inspiração anda me fazendo falta(só sai rabisco), quem sabe amanhã tenha algo palpável para te ofertar,quem sabe Sementeiras germine algo bom sobre os Xandes e as almas boas que não desistem das almas humanas. Sei não, vamos ver, meus dedos perfeccionistas não andam gostando de nada...é realidade demais para os pobres sonhadores.
Que Deus te ilumine sempre para fazer outros olhos enxergarem os sonhos.
Beijos.
Magna

samuca santos disse...

p...!
vivo isso no meu dia-a-dia na favelinha onde subvivo e não são crianças de treze, são bem menores.
teu texto foi fundo.
abçs

Magna Santos disse...

Esqueci de dizer que vi o site da Biblioteca Popular do Coque. Gostei demais.
No Sementeiras tem algo para você e todos que trabalham bravura e doçura em meio a tantas dificuldades.
Abração.
Magna
Obs.:nunca sei como te chamar direito. Gosto muito dos nomes reais, mas escrevo Luna por ser este o adotado aqui. Qualquer coisa me diga.

Cleyton disse...

Putz, que lindo post. A intertextualidade... como gosto. E linka com a história de Vito, que estou desenvolvendo. Posso adicionar na história Xande, como amigo de Vito? Beijo. Ah, e vamos conversar sobre as siamesas quarta. Ideias, ideias. Beijo grande!

 

Palavras-pontes Design by Insight © 2009