7 de maio de 2010

Toda mãe tem medo

Toda mãe tem medo.
Medo que o filho caia,
que se machuque,
que sofra.
Medo que o filho se perca em atalhos escuros...

Toda mãe tem medo.

A maior e mais difícil das lições da maternidade
é enganar esse medo.
É saber que ele é para sempre nosso companheiro.
E deixar que o filho caia,
que se machuque,
que sofra.
Deixar que o filho aprenda com os empurrões da vida.
Mas estar sempre perto para o que for preciso.

E, quando ele enveredar pela escuridão,
fazê-lo acender em si mesmo
a luz que lhe entregamos sempre.

Toda mãe tem sonhos:
que o filho se forme,
tenha bom emprego,
bom casamento.
E nos encha a casa de netos,
para reaprendermos a infância.

Toda mãe tem sonhos...

Mas o melhor é perceber os sonhos deles.
E quando parecerem irreais ou inoportunos,
que, mesmo assim,
a gente se deixe embarcar,
ainda que tenhamos em mãos as bóias de salva-vidas.

Porque melhor do que sonhar um mundo perfeito para os filhos,
é refazer os sonhos,
rever os valores
e ser feliz com eles.

3 comentários:

Margo disse...

Que lindo irmãzinha !!! E essa fotinha também é linda... Minha pequena, hoje tá tão grande !! Te amo e feliz dia das mães !! Eu sempre soube que você ía ser uma boa mãe.

Magna Santos disse...

Danada você é, Fabiana! Nossa Senhora! Ainda não consegui comentar os teus posts anteriores, sobretudo, o último é muito impactante e verdadeiro. Queria responder ao carinho de tuas palavras em Sementeiras, mas não atinei pra palavra nenhuma que correspondesse.
Aí, venho mais uma vez e continuo sem atinar. Você falou tudo, criatura! E falou num dia que meus olhos andam derramando horrores de felicidade.
Só quero te dizer que vou lembrar do teu poema sempre que precisar "definir" o que é ser mãe.
Beijão!
Magna

Magna Santos disse...

FELIZ DIA DAS MÃES! Muita prosperidade e sabedoria!
Beijo.
Magna

 

Palavras-pontes Design by Insight © 2009