24 de abril de 2012

Zummmmmmmm!...

A metrópole me arrasta sob as rodas
Sou cão manco
no cruzamento da avenida

Passam os carros
e, como folha de jornal
Zummmmm
Zummmmm
lá se vai minha vida...

Mistura-se à fumaça do automóvel
à poeira das ruas
à lama
ao asfalto
Mistura-se ao vento
e sobe
Zummmmmm
para o alto
para o firmamento

A metrópole me ofusca sob as luzes
Sou marinheiro cego
a buscar o farol
Roubam-me as estrelas
e, como avião perdido
zummmmm
zummmmm
sigo tonta em direção ao sol...

Misturo-me à fumaça das estrelas
poeira de nuvens
constelações
cometas
Minha alma em desaprumo
sobe
Zummmmm
para outros planetas
para outro rumo

A metrópole me cansa e me encanta
Sou pisca-pisca
em noite de Natal

Acendo,
apago
assassino
afago
zummmmmmm
zummmmmmm
mergulho no canal

Limpo-me na água dos esgotos
na lama dos mangues
merda dos aterros
submerjo e subo
zummmmmmmm
para outras fossas
e outros enterros

A metrópole é o meu avesso
sou um verso
na Torre de Babel

Quero o campo
o silêncio
a palavra perfeita
zummmmmmm
zummmmmmm
Eu quero o céu!

0 comentários:

 

Palavras-pontes Design by Insight © 2009