6 de julho de 2009

Sobre a imensa família coral

Ser torcedor do Santa é uma dádiva e uma lição.
É tirar fôlego de cada queda para ressuscitar a esperança.
É dar asas à fênix, para ir das cinzas às nuvens.
É costurar no coração a camisa coral.

Torcedor do Santa não vibra sozinho, em frente à televisão.
Ele invade o campo, as ruas, os estádios rivais e cidades vizinhas.
É uma imensa família, com almas pintadas de branco-preto-encarnado.

Torcedor do Santa,
quando tem carro,
não usa a buzina para provocar o adversário,
mas para cumprimentar os irmãos de cores, tri-colores.

Torcedor do Santa sabe rir de sua própria desdita
e tirar do sorriso a munição para o próximo jogo.
Ele jamais rasga a camisa ou a esconde no armário.

Torcedores do Santa choram juntos,
vibram juntos,
viajam juntos,
resistem juntos.
E celebram, sempre, a vitória da solidariedade na imensa nação coral.

(Estive em Maceió para ver, junto com minha imensa família de milhares de tricolores, a vitória coral rumo às primeiras divisões. Santa 3 X 0 CSA).

3 comentários:

Josias de Paula Jr. disse...

A torcida é extraordinária mesmo! Não há como não se emocionar. A reação da torcida do CSA foi significativa: ao fim do jogo, os torcedores alagoanos pediam bandeiras e adereços tricolores pra gente... Se contaminaram!
Sábado será outra festa...

Magna Santos disse...

Estou começando a achar que a blogosfera tricolor está mesmo a fim de contaminar os distantes do futebol como eu. Festa bonita é sempre festa!
Beijo.
Magna

Josias de Paula Jr. disse...

Fabiana, resolvi responder aqui. Pode sim, claro.
Eu tenho como ter acesso ao jornal?

ps: Só por curiosidade: qual poema escolheste?

Um abração e obrigado pela escolha!

 

Palavras-pontes Design by Insight © 2009