8 de agosto de 2011

Poema de amor


Ele veio sem ser convidado
invadiu meu mundo
destelhou minha casa
plantou ninhos em meu ventre
beijou-me os seios e as asas
lançou-me ao abismo para ensinar-me a voar

Ele veio sem ser convidado
Enfrentou Peter Pan
Reinventou-me a vida
Sugou-me a seiva e o musgo
Fez jardins em minhas entranhas
e afastou-me da Ilha Perdida
roubou-me a boneca para ensinar-me a brincar

Ele veio sem ser convidado
e ficou.
E eu, arrastada que fui por um temporal destemperado,
fiz-me mulher ao seu lado,
e deixei o vento me guiar.
E eu, arrastada que fui por uma barca desgovernada,
ofereci-lhe minha caverna para sua morada,
e deixei seu sêmen me povoar.
Ele veio sem ser convidado
e ficou.







3 comentários:

Josias de Paula Jr disse...

Lindo poema e lindo sentimento. Que a relação flua fácil e bela, espelhando a poesia.

Magna Santos disse...

Lindíssimo, Fabiana! Tocante!
Preciso passar aqui mais vezes. Tem escritos acumulados para eu ler.
Passarei depois, sem falta.
Beijos.
Magna

Dimas Lins disse...

Fabiana,

Já te disse isso pessoalmente, você escreve muito bem.

Poema de amor, de quem fica no porto e nunca se vai.

Coisa linda.

Dimas

 

Palavras-pontes Design by Insight © 2009